Empreendedorismo na era digital

27 de fevereiro de 2020

Por Emanuelly Oliveira


No último artigo relatei um pouco sobre a importância da tecnologia digital para o desenvolvimento econômico e social do país e de como o desenvolvimento de habilidades para o uso positivo da WEB pode gerar impacto social positivo no Brasil (você pode conferir esse artigo aqui).

Seguindo esse pensamento e tendo como foco o empreendedorismo como uma escolha que pode trazer valor social a territórios e para transformar vidas, a era digital movimenta um importante mercado; As redes sociais nunca foram tão importantes para a colocação da marca e aumento da visibilidade e faturamento de microempresários locais.

Apesar da sua força e potência de engajamento que as redes sociais possuem hoje, ainda poucos conseguem dominar suas ferramentas e métodos de vendas online, o setor comercial ou de como fazer um bom uso da sua rede para ganhar uma renda extra. Muitos empreendedores, principalmente iniciantes, possuem dificuldades de uso e domínio das mídias para o trabalho e geração de renda. Mesmo estando conectados por uma média de 9h online por dia, média nacional segundo o Google, esse conhecimento sobre as mídias, como fotografar, fazer vídeos, stories ou usar uma conta comercial e publitizar seus produtos, ainda é pouco conhecida pela maior parte dessa população.

O uso das mídias sociais pode potencializar muitas ideias de negócios que podem gerar uma renda extra para alguma família. Várias ideias podem surgir e garantir mercado até mesmo em uma cidade, onde o ponto de encontro para entrega ou troca de produtos podem ser negociados em rede social via whatsapp, Instagram ou grupo/Fanpage do Facebook. Livros, roupas usadas, maquiagem, cursos, mobiliário, design gráfico, tudo pode ser comercializado online. Podemos começar um movimento de pessoas incentivando o uso de hashtags para o bem coletivo, podemos melhorar nossa comunicação WEB nos colocando de forma mais positiva nas redes e entendendo sobre seu funcionamento.

Já existem muitas ideias capazes de fazer essa onda virtual acontecer, alguns exemplos são:

-Embaixadores Social Brasilis/Movimento social – Um programa de estímulo ao empreendedorismo social e o ao uso da tecnologia digital de forma positiva por pessoas de todo o país. Programa 100% digital, gratuito e virtual, com uma metodologia de construção de projetos e ações que levaram pessoas a aplicarem suas ideias pela primeira vez e que compartilhassem suas ações usando a tecnologia digital como canal. Incentivamos o uso de hashtag’s para impulsionar essa corrente como #SocialFuture e #EuSouProtagonista – saiba mais.

-Bazar/loja online – Muitas lojas, brechós e até mesmo pessoas comuns estão tendo boas oportunidades através da internet fazendo vendas através das redes sociais, principalmente, o Instagram e nos grupos do Facebook. Essa onda tem contribuindo, inclusive, com a sustentabilidade ambiental, pois roupas, brinquedos e calçados que não são mais usados, mas que estão em bom estado de conservação podem ser vendidos para gerar uma renda extra. Um ponto interessante, é que esse tipo de comércio não precisa, necessariamente, de as pessoas estarem em cidades distantes entre si, os grupos servem como vitrines de produtos e que podem ser entregues em pontos de encontro pela cidade. Um exemplo de e-commerce que se pode criar uma lojinha mais padronizada e com a possibilidade de envio para todo o país é o Enjoei, dentro outros.

-Cursos/tutoriais online- Todo mundo tem algo a ensinar, todo mundo tem algo a aprender, não é mesmo? Os cursos online, vídeo-aulas, materiais didáticos e etc, são comuns no ciberespaço. Muitas pessoas e instituições já constituídas se colocam online para aumentar seu público com um orçamento com valor mais baixo e acessível. As plataformas de ensino para cursos livres, técnicos e etc, já estão disponíveis para quem quer compartilhar algo e aprender, além disso, o YouTube pode ser uma importante ferramenta de ensino/aprendizagem gratuita que se pode consumir e produzir conteúdo. Que tal criar um passo-a-passo sobre a confecção de algum produto seu ou da área que ele impacta? Existe, com certeza, alguém procurando um conteúdo assim pelo país.

Do físico para o online e vice-versa – Muitos empreendedores iniciam seus negócios de forma tradicional e ganham a rede. As mídias sociais servem como auxílio para trabalhar a marca, a presença digital da empresa e atrair novos clientes na própria cidade, principalmente capitais. São salões de beleza, empresas de entretenimento, lojas de roupas e beleza, escolas, universidades e até mesmo clínicas médicas. A presença online é imperativa, gera e agrega valor para seus empreendedores.

-Blogs de notícias e entretenimento- Cresce esse gênero de negócio, principalmente em médias e pequenas cidades, pessoas que acompanham a notícia, os políticos locais ou gera entretenimento sobre o mundo dos famosos, sociedade local e dicas de livros, roupas e estilo. Para esses tipos de negócios a publicidade e o marketing de conteúdo são a melhor pedida porque geram conteúdo significativo e assim são melhores ranqueados no Google, o que gera procura e visualizações o que faz a renda entrar no futuro. Mantenha o cuidado de sempre checar a fonte de informações desses portais, se é de confiança e sobretudo, não compartilhe materiais de fontes duvidosas ou se você não possui certeza se a matéria é verídica, isso pode prejudicar a vida ou o trabalho de alguém, até mesmo toda uma sociedade.

Um exemplo de blog de notícias e entretenimento é esse aqui, o Portal Impacta Nordeste, que busca divulgar, fomentar e construir uma rede de empreendedorismo de impacto social no Nordeste brasileiro.

Fique [email protected]! Segurança WEB acima de tudo e mão na massa para começar sua atividade online!

Publicado por:
Emanuelly Oliveira

Especialista em gestão de projetos sócio-educacionais. Possui 20 anos de experiência em movimentos sociais atuando em organizações nacionais e internacionais. Gerente internacional em projetos de desenvolvimento e gestão social pela PMG Internacional. Autora do TED Talk “Em Rede Todos podemos ser empreendedores” realizado no TEDxBlumenau. É fundadora do Social Brasilis, negócio social que atua sobre a educação 4.0 e a tecnologia digital.