Cooperativa Central do Cerrado lança loja virtual de produtos de agricultores familiares do Cerrado e Caatinga

3 de junho de 2020

Por Impacta Nordeste
Com informações do ISPN
Foto: Thomas Bauer


A Central do Cerrado é uma cooperativa formada por mais de 30 organizações (cooperativas e associações) de agricultores familiares extrativistas das regiões do Cerrado e Caatinga, conectando quem produz a quem consome.

A cooperativa está sediada em Brasília, além de um box no Mercado de Pinheiros, em São Paulo. Devido a pandemia do coronavírus e a recomendação de isolamento social, o atendimento presencial na loja foi interrompido. Para continuar com as atividades, a Central do Cerrado acaba de lançar uma loja virtual para comercializar mais de 200 itens produzidos pelas organizações parceiras, com atendimento para todo o Brasil.

Entre os produtos disponíveis na plataforma, os clientes podem encontrar farinhas especiais, como o mesocarpo de babaçu, produzidos pela Cooperativa dos Pequenos Produtores Agroextrativistas de Esperantinópolis (Coopaesp), no Maranhão; a farinha de buriti, da cooperativa Grande Sertão de Montes Claros, em Minas Gerais; o flocão de milho não-transgênico, da Cooperativa Agropecuária Mista Regional de Irecê (Copirecê), na Bahia, além de algumas espécies de castanhas brasileiras, como a castanha de pequi, produzido pela Cooperativa de Produção da Região do Piemonte da Diamantina (Coopes), na Bahia.

Os clientes também encontram no site informações sobre a origem social e territorial das comunidades produtoras, além de dicas de receitas e ficha técnica dos produtos.

“Com a situação do COVID-19 e isolamento social, muitas comunidades tiveram o escoamento de sua produção comprometidos. A venda pela loja virtual é uma forma de escoar os produtos dessas comunidades e garantir renda para as famílias agroextrativistas. A comercialização ajuda a manter o cerrado e a caatinga em pé, conservar a biodiversidade nativa, incentiva a permanência no campo, valoriza a cultura local e o modo de vida tradicional”, comenta o secretário executivo da Central do Cerrado, Luís Roberto Carrazza.

Segundo a Central do Cerrado, as agroindústrias dos produtores parceiros e a equipe responsável pela loja virtual operam de acordo com as recomendações prescritas pela OMS.

A loja virtual da Central do Cerrado entrega para todo o país. Para saber mais, acesse o site oficial.

Gostou do nosso site? Siga o Impacta Nordeste, assine a nossa newsletter e compartilhe com os amigos!