Negócios de impacto do Nordeste atingem meta de captação em plataforma inovadora de empréstimos coletivos

19 de setembro de 2019

Plataforma de Empréstimo Coletivo SITAWI, lançada pela SITAWI Finanças do Bem com o apoio do Instituto Sabin, já passou dos R$ 1 milhão levantados em empréstimos para negócios de impacto socioambiental positivo. Das 5 organizações que entraram na plataforma, duas são do Nordeste e já alcançaram a meta.

Uma nova geração de empresas está fomentando uma mudança social positiva, buscando aliar o lucro e impacto positivo na sociedade – os chamados negócios de impacto.

Financiar esse movimento e atrair o capital necessário para que esses novos negócios cumpram com sua missão de proporcionar bem estar social, é um desafio que requer inovação e o esforço conjunto do setor público, do terceiro setor, do setor privado e da sociedade civil em geral.

Para fazer frente a esse desafio, o SITAWI Finanças do Bem com o apoio do Instituto Sabin, criou a Plataforma de Empréstimo Coletivo SITAWI. Por meio de empréstimos realizados principalmente por pessoas físicas, a plataforma oferece linha de crédito com juros baixos para organizações de impacto socioambiental positivo.

Nela é possível  pesquisar o perfil, o impacto e projeções financeiras dos negócios, e emprestar aos que estiverem com captação aberta. O valor mínimo de empréstimo é R$ 1 mil.  E o repagamento será mensal, com juros de 1% (também ao mês). Em até 24 meses os investidores terão recebido todo o dinheiro emprestado de volta.

A SITAWI Finanças do Bem foi pioneira em empréstimo coletivo de impacto no Brasil e agora expande sua atuação para diminuir barreiras rumo à democratização do investimento de impacto no Brasil. Por isso a escolha do modelo de crowdfunding, que já soma US$ 34 bilhões por ano em todo o mundo, e deve crescer 10 vezes até 2025.

“O investimento de impacto tem crescido em reconhecimento e em valor movimentado, mas ainda há grandes barreiras para que o investidor comum possa aplicar seu dinheiro com mais propósito. Do outro lado, estão os negócios de impacto, que necessitam de capital para crescer e seguir impactando positivamente o meio ambiente e a vida de milhares de pessoas”

Andrea Resende, Gerente de Finanças Sociais da SITAWI.

Fábio Deboni, gerente executivo do Instituto Sabin, explica que a plataforma é semelhante à vaquinha coletiva, só que com um viés diferente: os recursos são captados como empréstimos, não como doações. “Nosso objetivo é que o investimento do Instituto alavanque mais recursos de pessoas físicas e jurídicas”, explica.

Empresas do Nordeste atingem 100% da meta.

Dois negócios de impacto social do Nordeste participaram da 1ª rodada de captação, que teve fim em 12 de agosto de 2019.

COOPSERTÃO

A Cooperativa Ser do Sertão – COOPSERTÃO reúne produtores do ramo Agropecuário de Agricultura Familiar em Pintadas, no interior da Bahia – Foto: Sitawi

A Cooperativa Ser do Sertão – COOPSERTÃO reúne produtores do ramo Agropecuário de Agricultura Familiar em Pintadas, no interior da Bahia. Fundada em 2008, tem como missão promover o fortalecimento da agricultura familiar por meio do cooperativismo, com práticas agroecológicas e profissionalização das unidades produtivas. A cooperativa foi uma iniciativa de mulheres da região, sendo ainda gerida por maioria do gênero feminino e com participação relevante de produtoras mulheres na base de associados. Ao final do seu 2° ano de funcionamento, a organização escoava basicamente umbu e frutas típicas da região, transformando-os em geléias, doces e polpas.  Hoje, após 10 anos de existência, está expandindo uma fábrica de polpa de frutas. Todo o excedente da operação é redistribuído para a implementação de técnicas agrícolas agroecológicas, com o intuito de possibilitar a produção durante todo o ano, sem que a seca interrompa o processo produtivo.

UPSaúde

A UPSaúde é uma empresa criada em Currais Novos, Rio Grande do Norte. – Foto: Sitawi

A UPSaúde é uma empresa criada em Currais Novos, no Rio Grande do Norte, em 2018. Sua solução tem o objetivo de melhorar diversos aspectos de comunicação da Saúde Pública, visando à diminuição de filas e promovendo fácil acesso à informação. Através de um aplicativo de inteligência de dados, a organização atende dores de todos os públicos da saúde pública, apresentando funcionalidades para médicos, gestores hospitalares e pacientes. Graças a marcações de consultas online, disponibilização de relatórios gerenciais e de telemedicina, já promoveu uma redução, em média, de 38% das filas para atendimento nos municípios que contrataram o serviço.