ONGsOportunidadesPolíticas PúblicasSustentabilidade

Edital do BNB prevê R$ 8 milhões para incentivar a difusão de tecnologia em cadeias produtivas

2 mins de leitura

Direcionado a organizações da sociedade civil, o edital tem como objetivo melhorar os níveis de produtividade e sustentabilidade dos minis, micros e pequenos produtores dos territórios de atuação do BNB. Os projetos apresentados podem receber aporte de R$ 100 mil a R$ 500 mil.

*Com informações do BNB
**Imagem de capa: Divulgação/BNB

O Banco do Nordeste lançou, no último dia 19/07, edital no valor de R$ 8 milhões para organizações civis difundirem o uso de tecnologias em cadeias produtivas na área de atuação da instituição. Os recursos não reembolsáveis são do Fundo de Desenvolvimento Econômico, Científico, Tecnológico e de Inovação (Fundeci) e podem ser captados por instituições públicas ou privadas sem fins lucrativos. O lançamento faz parte das celebrações pelos 70 anos de criação do BNB.

O edital está disponível para consulta no site do Banco na Internet e pode ser acessado clicando aqui. O período de inscrições de projetos vai até 8 de setembro de 2022 e o resultado da primeira etapa será divulgado em 6 de outubro de 2022. Nesta sexta-feira, 22, das 10h às 11h, haverá uma live no canal do BNB no Youtube para divulgar as informações do edital. 

De acordo com o diretor de Planejamento do Banco do Nordeste, Bruno Pena, “o Prodeter e o Agronordeste são estratégias do Banco e do Governo Federal elaboradas para contribuir com o desenvolvimento territorial por meio da organização, fortalecimento e elevação da competitividade das atividades econômicas da Região. O objetivo é apoiar a produção rural por meio de assistência técnica, ampliação e acesso a mercados, fortalecimento da organização dos produtores e acesso ao crédito”.

Os projetos apresentados nas propostas podem ter prazos de execução de 12 a 24 meses e podem receber aporte de R$ 100 mil a R$ 500 mil. As iniciativas devem contemplar ações de democratização de tecnologias, como capacitações, serviços, planejamento e organização de atividades, visitas técnicas, atividades em campo, levantamento de dados ou elaboração de projetos. Além disso, devem atender cadeias produtivas em territórios atendidas pelo Programa de Desenvolvimento Territorial (Prodeter) ou Agronordeste.

Para o superintendente de Políticas de Desenvolvimento Sustentável, Irenaldo Rubens Nunes Soares, é necessário que os projetos concorrentes abranjam a difusão de tecnologias em pelo menos um dos elos da cadeia produtiva, como insumos, produção, beneficiamento e comercialização. “Então, existe muito espaço para difusão de tecnologias nas atividades priorizadas nos territórios do Agronordeste e do Prodeter. O nosso objetivo é melhorar os níveis de produtividade e sustentabilidade dos minis, micros e pequenos produtores nesses territórios por meio da organização, fortalecimento e elevação da competitividade”, afirma.

A seleção é voltada a instituições públicas e privadas sem fins lucrativos sediadas ou com filiais na área básica de atuação do Banco do Nordeste, que contempla os estados nordestinos e parte de Espírito Santo e Minas Gerais.

Assine nossa neswletter