GIFE divulga perspectivas para o investimento social privado no Brasil em 2020

9 de janeiro de 2020

Por Impacta Nordeste
Com informações do GIFE


Os próximos 10 anos serão bastante intensos no campo do desenvolvimento social no Brasil. Em meio a tantos questionamentos e incertezas na esfera política e econômica que vem atingindo todo o mundo, o caminho para o cumprimento dos objetivos contidos na Agenda 2030 promovido pela ONU pode acabar sendo prejudicado.

Mesmo assim, o início de 2020 é o momento oportuno para discutir as próximas estratégias do setor de investimento social privado de modo que possam estar alinhadas com as demandas públicas de maior urgência no Brasil, como educação, trabalho, saúde e segurança pública.

Membros do conselho de governança do Grupo de Institutos, Fundações e Empresas, o GIFE, pontuaram quais serão os principais desafios e oportunidades identificadas neste setor no ano de 2020. 

O portal Impacta Nordeste foi mencionado em Oportunidades como exemplo de iniciativa inovadora no setor fora do eixo Rio-São Paulo, juntamente com a Rede Temática Nordeste e a Plataforma Parceiros da Amazônia. O portal é um espaço inteiramente dedicado a divulgação e mobilização de diversos projetos sociais e negócios de impacto social que estão transformando a região Nordeste.

Já na categoria Desafios, alguns pontos de destaque são o aumento do apoio institucional e fortalecimento da gestão das organizações da sociedade civil, a implementação de políticas públicas baseadas em evidências para o enfrentamento dos desafios educacionais e o combate a fake news e apoio à produção de conteúdos com repertório de qualidade sobre o campo socioambiental. 

“2020 nos provoca a repensar nossos conceitos e abordagens no campo socioambiental. Temas até então distantes do universo de atuação do investimento social privado e outros, embora presentes, menos representativos, retornam com força, tais como fake news, produção de conteúdo independente, fortalecimento da sociedade civil, advocacy. A atuação na esfera pública passa a demandar uma revisitação de estratégias. Nesse novo contexto, estamos dispostos a rever nossos conceitos e práticas?”, questiona Fábio Deboni, gerente executivo do Instituto Sabin, um dos membros do Conselho de Governança do GIFE. 

Já Neca Setubal, presidente do Conselho da Fundação Tide Setubal e do Conselho de Governança do GIFE, acredita que um dos maiores desafios para o campo do ISP é o fortalecimento da diversidade de gênero e raça na dinâmica das grandes empresas. “Não podemos tratar a maioria da população como minoria em seus direitos. É preciso pensar em ações que reduzam as desigualdades e essa mudança passa a olhar das oportunidades para negros e negras em diferentes esferas.”, afirma.

Para conferir o documento na íntegra, clique aqui.

Gostou do nosso site? Siga o Impacta Nordeste, assine a nossa newsletter e compartilhe com os amigos!