Impacta+Negócios

Social Bank busca conciliar lucro e responsabilidade social

4 mins de leitura

O banco é a primeira empresa do setor bancário brasileiro reconhecida com o selo de Empresa B, chancela dada a empresas que adotam práticas ambientais e sociais responsáveis.

Por Ana Paula Silva

Um banco pioneiro na inclusão social, digital e financeira. Esse é o Social Bank, que se propõe a ser um banco verdadeiramente digital e busca equilibrar lucro e propósito. Lançado em 2017, o banco atualmente atende 5 mil contas de empresas e 1,5 milhão de contas de pessoas físicas e prevê registrar R$2 bilhões em recursos depositados em 2021.

O Social Bank tem como propósito ressignificar os valores da sociedade, conectando pessoas e negócios, com menos burocracia e mais agilidade, mais liberdade e autonomia sobre o próprio dinheiro. Oferece todos os serviços dos bancos tradicionais, além de soluções exclusivas para gestão financeira de pessoas e empresas. Foi pioneiro na modalidade de empréstimos entre pessoas e pioneiro na criação do modelo de espaço de convivência dentro do conceito Social Cities, que engloba educação financeira, coworking e negócios, e que deverá ser replicado para mais de 30 cidades do Brasil.

“Buscamos sempre equilibrar propósito e resultado. Entre nossos diferenciais está a estratégia B2B2C, que é o foco em empresas, implementando seus produtos e soluções de forma massiva em colaboradores e clientes, e o propósito, que é nosso compromisso com o desenvolvimento sustentável. Um marco importante nesta caminhada de impacto, foi que idealizamos a modalidade de empréstimos peer-to-peer, o Social Cash, lançado juntamente com a criação do banco em 2017. O Social Cash abrange empréstimos entre pessoas, viabilizando crédito com juro menor em contrapartida a uma remuneração mensal acima do CDI, e gerando recursos para iniciativas de impacto social”, explica o diretor de Propósito e Pessoas do Social Bank, Alonso Neto.

Conciliando lucro e responsabilidade social

Recentemente, o banco recebeu o selo de Empresa B  (B Corporation), uma das chancelas mais importantes quando o assunto é responsabilidade social, tornando-se a primeira empresa do setor bancário brasileiro reconhecida com o selo. A certificação é concedida pela B Lab, organização norte-americana sem fins lucrativos, que reúne uma rede global de empresas que associam lucro ao bem-estar social e ambiental, a partir das dimensões de governança, trabalhadores, comunidade, meio ambiente e clientes. 

Alonso Neto, Diretor de Propósito e Pessoas do Social Bank. (Foto: Divulgação)

“O Social Bank trata a certificação como o símbolo do compromisso com o desenvolvimento sustentável, cujo princípio norteia a atuação do banco desde sua criação. Esta certificação consolida nossa busca contínua pelos critérios mais elevados em governança, sustentabilidade e impacto social, elementos que pertencem ao nosso DNA desde a fundação. Mais do que isso, ser pioneiro no segmento bancário é provar que é possível sim conciliar lucro e responsabilidade social. As empresas B Corp buscam ser as melhores para o mundo e não do mundo”, comemora Alonso Neto.

Expansão e novos negócios

O Social Bank atua em todo o Brasil por meio de suas soluções digitais e canais de atendimento online e tem como projeto estar presencialmente em 34 cidades brasileiras nos próximos três anos, atualmente, o banco está presente fisicamente com escritórios em Uberlândia, Salvador e São Paulo.

A certificação de Empresa B chega em um momento de crescimento do banco. Neste momento, o banco está em forte expansão comercial, prestes a incrementar novos negócios e produtos, na esteira da compra do Banco Capital, de Salvador. “Não queremos expandir base a qualquer custo; prezamos por uma operação mais redonda, com sustentabilidade financeira. Construímos toda a estrutura tecnológica, e estamos preparados neste momento para uma capitalização grande e para um crescimento exponencial”, afirma Alonso Neto.

Investimento em inovação social e negócios de impacto

O Social Bank também procura fazer investimentos que promovam a inovação social. A empresa participou como investidor no Matchfunding Enfrente Impacta Mais, promovida pelo fundo Impacta Mais junto com a Benfeitoria, plataforma de mobilização de recursos para projetos de impacto cultural, social, econômico e ambiental. A iniciativa que recebeu o investimento do Social Bank foi a Business Round.

“A Business Round é o Tinder dos negócios sociais e buscamos o “match” perfeito entre os investidores e os negócios através de uma plataforma digital que busca captar investimento para negócios de impacto liderados pela diversidade”, explica Paulo Henrique Oliveira, idealizador da Business Round.

Segundo Paulo Henrique, a Bahia não pertence ao circuito tradicional de atração de investimentos sociais e isso impacta no desenvolvimento do seu ecossistema de empreendedorismo e inovação. A proposta do Business Round visa a democratização do investimento social, já que os negócios de impacto social no Brasil estão concentrados na região Sudeste e uma parcela menor na região Nordeste, que tem inúmeros problemas socioambientais e um enorme potencial criativo.

Outra questão é que o perfil dos empreendedores é de homens, brancos e jovens, o que torna necessário diversificar esse protagonismo e buscar um equilíbrio dessa equação. “Ao atingir esse objetivo, conseguimos empoderar empreendedorxs mais diversos como: mulheres pretas, periféricas, LGBTQIA+, Pessoas com Deficiência, entre outros, na construção da sua independência financeira, tomada de decisões dos seus negócios,promover a geração de emprego, renda e aumento da quantidade de negócios liderados por pessoas diversas”, afirma.

O objetivo do Business Round é mapear e selecionar negócios comprometidos e alinhados com os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. As atividades que acontecem no ecossistema da plataforma são: seleção de negócios de impacto; triagem com especialistas; diagnóstico do negócio; trilha formativa de alta performance, para preparar sobre investimento tanto para empreendedores quanto empresas investidoras, trata-se de uma jornada até receber o investimento; mentoria presencial/online específica para preparação de pitch; rodada de negócios; vitrine de negócios de impacto social e mapa de impacto.

Para o Social Bank esse investimento é “uma parceria que une o propósito e ecossistema financeiro inteligente, ao ampliar a atuação junto aos negócios de impactos, fomentando a relação financeira consciente e fazer com que mais pessoas se sintam encorajadas diante dos desafios que empreender oferece. É preciso estar ciente de que iniciativas como essa – Business Round – exercem um papel crucial na inovação social ao conectar negócios impactos e grandes empresas. Por isso, o apoio é fundamental, além de oferecer ganhos a todos os envolvidos”, afirma Alonso Neto.

Assine nossa neswletter