Dois azuis no mesmo azul

19 de dezembro de 2019

Por Haroldo Rodrigues


Há um senso de urgência. Aquecimento global, pobreza, escassez de água, aumento da migração rural-urbana, fome global e falência dos modelos políticos existentes estão entre os desafios enfrentados. Tudo numa escala sem precedentes.

Nos negócios, os grandes executivos são objetos de intensa seleção, os seus valores estão deixando de ser medidos pelo mercado de ações. Os líderes da nova economia agora analisam o impacto que suas empresas têm na sociedade. A confiança se tornou a moeda de ouro, é o preço irrefutável para a dignidade humana.

É inquestionável o papel transformador da geração chamada milênio. Estudos da Deloitte Millennial Survey 2018 apontam a confiança dos milênios em empresas para um mundo melhor. Essa informação vale uma reflexão profunda. De acordo com o Fórum Econômico Mundial, no próximo ano, os milênios representarão 40% de todos os consumidores, influenciando cerca de US$ 40 bilhões em vendas anuais.

Lucro com propósito é a nova ordem da economia global. Historicamente, as empresas com seus investimentos sociais privados impulsionaram esse conceito, que de alguma forma permaneceria restrito numa bolha. Agora, não mais, a bolha estourou! Os executivos do futuro desejam que suas empresas sejam elos numa cadeia de transformação do bem-estar social e do planeta, assim gerando impacto positivo.

O maior exemplo é a ascensão global do sistema B ou, como queiram, das B Corp. Trata-se de um movimento de líderes de empresas certificadas com base nas boas práticas de sustentabilidade social, desempenho ambiental e de modelos de negócios justos.

Fica cada vez mais cristalino que as dores gritantes do mundo não podem ser resolvidas apenas pelos poderes públicos ou pela sociedade civil. A hora é do segundo setor. É essa a virada para o desenvolvimento sustentável. 

Nos negócios, lucro e propósito são “dois azuis no mesmo azul”, são céu e mar, e como diz a letra da música, não podem ter fim. A questão é: quantos e quais líderes de negócios se comprometerão na transformação e avançarão com os dois azuis? O tom de azul está nas nossas mãos.

Publicado por:
Haroldo Rodrigues Jr

Sócio Fundador da Investidora de Impacto In3citi.
[email protected] | www.in3citi.com