“De onde vem o dinheiro?” Saiba o que são Finanças Sociais

25 de novembro de 2019

Por Impacta Nordeste


Apesar das ações governamentais e do investimento social privado por parte de empresas e pessoas engajadas, os recursos disponíveis para o Brasil enfrentar os complexos desafios na educação, emprego, moradia, saúde e distribuição de renda, ainda são insuficientes.

Para fazer frente a este desafio e atrair mais capital para financiar soluções sociais inovadoras, surge uma nova vertente de empresa que busca aliar a rentabilidade financeira com o retorno social, os chamados Negócios de Impacto. De acordo com a Aliança pelos Investimentos e Negócios de Impacto, um Negócio de Impacto pode ser assim definido se atender a quatro princípios:

  • Uma missão social e/ou ambiental;
  • O monitoramento de seu impacto social e ambiental;
  • A lógica econômica;
  • Governança efetiva e inclusiva.

Com isso, abriu-se caminho para uma nova dinâmica de investimento social, onde soluções sociais financeiramente sustentáveis podem dar retorno aos seus investidores, criando um ciclo virtuoso com grande potencial multiplicador. Esta lógica permite a atração de novos investimentos que, somados à filantropia e ao setor público, podem ajudar a resolver os desafios sociais do país. Desta forma surge o campo das Finanças Sociais.

Para entender mais sobre o assunto, continue lendo e saiba o que são Finanças Sociais, como é o funcionamento deste ecossistema e qual é o seu potencial.

Como funciona o ecossistema das Finanças Sociais

Chamamos de “ecossistema” o conjunto de atores que compõem o setor. Os principais atores das Finanças Sociais são aqueles que oferecem capital (podem ser doadores, investidores, ou que emprestam recursos), quem demanda capital (os negócios de impacto) e as organizações intermediarias (as que conectam os atores, facilitam, qualificam e monitoram os negócios).

Oferta de capital

É quem deseja oferecer dinheiro para investir em projetos de negócios sociais. O recurso pode ser concedido através de doações, empréstimos ou investimentos. Alguns exemplos são:

  • Governo;
  • Organismos nacionais de fomento;
  • Organismos multilaterais de crédito;
  • Instituições de finanças comunitárias;
  • Setor privado;
  • Pessoas físicas;
  • Pessoas jurídicas.

Mecanismo de investimento

São os meios pelos quais os atores que oferecem capital alocam os recursos, ou como as empresas captam investidores. Alguns exemplos são:

  • Filantropia (Doações);
  • Fundos patrimoniais;
  • Empréstimos e Fundos Sociais;
  • Investimento com objetivos de retorno financeiro/impacto social (Investimento de impacto);
  • Contratos de performance (Títulos/Ações de Impacto Social);
  • Crowdfunding (Financiamento coletivo);
  • Mobile giving (doação por meio de mensagem de texto do celular);
  • Microcrédito;
  • Empréstimos;
  • Comercialização de bens e serviços.

Demanda de capital

São os Negócios de Impacto Social ou Negócios Sociais. Podem ser:

  • Organização da Sociedade Civil com geração de receita;
  • Organização da Sociedade Civil com negócio social;
  • Cooperativas;
  • Negócio com missão social ou ambiental com restrição na distribuição de dividendos (*negócios sociais);
  • Negócio com missão social ou ambiental sem restrição na distribuição de dividendos (*negócios de impacto social).

*Você sabe a diferença entre negócios sociais e negócios de impacto social? Recentemente publicamos um artigo explicando a diferença. Clique aqui para ler.

Agentes intermediários

São as empresas e organizações que facilitam a busca por quem oferta capital e por quem demanda, agilizando o processo. Estes agentes podem viabilizar desde o acesso à recursos financeiros e possíveis investidores, à estratégias de avaliação de performance dos investimentos, assim como ajudam a qualificar os negócios (por exemplo: incubadoras e aceleradoras de impacto).

Qual é o potencial do setor?

Este tipo de negócio ainda é novidade no Brasil, porém, ha cada vez mais empreendedores e investidores que somados a grandes empresas, bancos, fundações, organismos multilaterais e governos, compõem um setor em franco crescimento. Estima-se que nos próximos anos o setor movimente R$50 bilhões de reais no Brasil e cerca de US$ 1 trilhão de dólares no mundo todo.

O campo das Finanças Sociais está em constante construção, em um esforço coletivo de todos os atores que compõem o ecossistema. É importante salientar que os Negócios de Impacto Social não vieram para substituir as ONGs e a filantropia convencional, mas sim para somar ao esforço para solucionar os diversos desafios que o mundo enfrenta. Certos problemas sociais não são solucionados por meio dessa solução ganha-ganha, principalmente aqueles que necessitam de alívio imediato.

Saiba mais

Você pode saber mais sobre os investimentos de impacto social no mundo através da “Pesquisa Anual do Investidor de Impacto” (em inglês) realizado pela GIIN (Rede Global de Investimento de Impacto), e no Brasil através do relatório “Conquistas e Avanços do Ecossistema de Investimentos e Negócios de Impacto no Brasil”, desenvolvido pela Aliança. Disponibilizamos essas e outras pesquisas na seção Conhecimento/Pesquisas do portal Impacta Nordeste. Clique aqui para conferir.

Agora que você entendeu o que são finanças sociais que tal conhecer alguns Negócios de Impacto que fazem parte desse ecossistema? Acesse agora o portal Impacta Nordeste e confira na aba Ecossistema/Negócios de Impacto o Mapeamento de Negócios de Impacto do Nordeste. Se você é empreendedor social da região, participe!